Posts com Tag ‘gnome’

1. Introdução
Xfce é um ambiente de trabalho leve para sistemas operacionais Unix-like. Destina-se a ser rápido e leve, bem como visualmente atraente e fácil de usar. Uma das prioridades do Xfce é a adesão a padrões, especialmente aqueles definidos através do freedesktop.org. Isso permite que o Xfce interopere perfeitamente com programas escritos para outros ambientes de trabalho, se esses programas também seguirem os padrões especificados.

Xfce é composto de uma série de componentes que juntos fornecem uma funcionalidade completa para um ambiente desktop. Eles são empacotados separadamente e o usuário pode escolher dentre aqueles pacotes disponíveis o melhor para seu ambiente de trabalho pessoal.

Xfce é uma das opções de DesktopEnvironment na DebianDesktopHowTo.

A versão Debian Wheezy (cognome para o Debian 7) contém o Xfce 4.8 empacotado e disponível em seu repositório.

2. O ambiente gráfico Linux

Antes de instalar o gerenciador gráfico Xfce, vale a pena compreender um pouco melhor o servidor gráfico X-Window através do post o ambiente gráfico Linux.
 

3. Instalar o Xfce no Debian a partir de uma instalação nova
A instalação padrão é com o gerenciador gráfico Gnome.  Mas quando da instalação de um novo sistema operacional a partir do zero, podemos instalar outros gerenciadores como o Xfce ou o KDE. Resumidamente, os procedimentos são os seguintes:
a) Quando estiver com o prompt do boot do Debian Installer, selecione “Advanced Options” se não desejar usar o GNOME. Observe a figura:
Tela inicial de instalação do Debian

Selecione “Alternative desktop environments”, conforme figura a seguir:
Tela 2 da instalação do Debian

Selecione Xfce e tecle “Enter”, conforme figura a seguir:
Tela 3 instalação Debian

4.2 A partir de uma instalação GNOME já existente
a) Desinstalar primeiro o GNOME e suas dependencias:
# aptitude purge `dpkg --get-selections | grep gnome | cut -f 1`
# aptitude -f install
# aptitude purge `dpkg --get-selections | grep deinstall | cut -f 1`
# aptitude -f install

b) Instalar o Xfce
# apt-get install xfce4

Isto irá instalar um metapacote, que irá instalar os módulos do núcleo do Xfce e os scripts para fazê-lo funcionar.

Há muitos utilitários que vêm com o Xfce. Se desejar instalá-los (é opcional e pode ser feito posteriormente caso a caso a partir de necessidades concretas):
# apt-get install xfce4-goodies

Pronto! Reinicar a máquina e usar o Xfce.

5. Outras dicas:
a) Outros pacotes podem ser encontrados pelo comando:
# apt-cache search xfce4

b) Para instalar todos os pacotes xfce4:
# apt-get install `apt-cache search xfce | cut -d ' ' -f1`

Links:
1- Xfce – debian Wiki
2- Website Xfce
3- Debian 7 with Xfce

1. Configurar Icone

No Linux, a pasta padrão para os icones está em /usr/share/icons/
Embaixo desta pasta há um conjunto de outras pastas com os nomes dos temas. Quando se utiliza o gerenciador xfce, os icons das aplicações ficam em /usr/share/app-install/icons/
Por exemplo, em /usr/share/icons/gnome/24x24/actions/ ficam os icones do tema padrão do Gnome.

Partindo de um problema concreto: no menu principal existe a aplicação “SAGA GIS” sem um icone associado. Como associar um icone a esta aplicação?

Resposta:
passo-1: primeiro, colocar o novo icone na pasta /usr/share/app-install/icons/
passo-2: associar a aplicação ao icone, onde a maneira mais fácil para isto é editar o Menu Principal e fazer a associação. O Menu Principal, se estiver usando a interface xfce, é obtida via Menu de Aplicativos -> Configurações -> Menu Principal.

2. Usar novos temas no Xfce

a) Instalar o novo tema na área do usuário
É uma opção interessante pois cada usuário poderá utilizar seus temas favoritos, sem necessitar de privilégios de administrador para instalar os temas.

Criar a pasta .themes abaixo do diretório raiz:
$ mkdir ~/.themes

Baixar os temas e colocar nesta pasta. Por exemplo, se fizer o download do arquivo de tema 136162-Crunchy-themes.tar.gz (descompactar via comando tar -zxvf 136162-Crunchy-themes.tar.gz). Após isto, mover o conteúdo do pacote para a pasta .themes:
$ cp -r endereco/onde/desempacotou/* ~/.themes/.

Logo, a pasta .themes deve ficar com as seguintes subpastas:
03-Crunchy-blue
04-Crunchy-grey
05-Crunchy-green

OBS: para casos de arquivos .tgz o comando de descompactação é semelhante: tar xvzf nome_arquivo.tgz).

Pronto, agora é só tulizar os novos temas, que é obtido através de Menu de Aplicativos -> Configurações -> Gerenciador de Configurações -> Aparência.

b) Instalar o novo tema na área de root
A vantagem é que ficará disponível para todos os usuários. Os arquivos de temas devem ficar na pasta /usr/share/themes. Após baixar o tema (normalmente vem em um arquivo compactado contendo vários arquivos e pastas), transfira seu conteúdo para a pasta de temas:
/usr/share/themes# cp -r endereco/onde/desempacotou/* .

Pronto, agora é só tulizar os novos temas, que é obtido através de Menu de Aplicativos -> Configurações -> Gerenciador de Configurações -> Aparência.

3. Papéis de parede (“wallpapers”)
Normalmente as pessoas gostam de usar papéis de parede diferentes. Isso é muito fácil de se alterar tanto no Xfce como no gnome ou KDE, bastando clicar com botão direito do mouse na área de trabalho.

a) Usando Xfce
Para selecionar o novo papel de parede disponibilizado, use o botão direito do mouse sobre a área de trabalho (Desktop), e das opções do menu selecionar a “Configurações da área de trabalho”. Aí é só clicar sobre a imagem que será utilizada como papel de parede.
Para novos papéis de parede, fazer uso de um terminal e colocar todos os arquivos em /usr/share/xfce4/backdrops/.

b) Usando Gnome
Após clicar com o botão direito do mouse na área de trabalho(desktop), escolher “alterar plano de fundo”. Depois usar a opção adicionar. Para o caso de se desejar adicionar uma coleção grande de wallpapers, e ter todas elas disponíveis em um só lugar, coloque-as na pasta padrão do sistema /usr/share/pixmaps/backgrounds . Só é possível fazer isso como administrador e através do console do terminal, ou usando o nautilus como root.

c) Usando o KDE
No KDE, os wallpapers estão organizados a partir da pasta /usr/share/wallpapers. Existe uma “regrinha” quando a disponibilização dos wallpapers, conforme pode ser observado em Criando wallpapers para o KDE. Essa regra para gerenciamento dos wallpapers do K Desktop Environment – KDE possibilita ao sistema selecionar automaticamente uma imagem com a resolução mais adequada para o computador do usuário evitando que ela se apresente distorcida, bem como permite a inserção de alguns dados importantes sobre o wallpaper.

Uma boa ideia é instalar um conjunto de wallpapers padrão para o KDE:
# aptitude install kde-wallpapers-default kde-wallpapers

Um outro conjunto de wallpapers para o KDE pode se encontrado em KDE-Look.org

Um utilitário bastante útil para criar e editar GtkSourceView2 style schemes é o “badschemer”. Que tem efeito direto em aplicações tais como o gEdit e o Anjuta.

Tela Badschemer

1- Baixar o aplicativo

A versão atual, 1.0.3, pode ser baixada através do seguinte comando:

wget -c http://dabj01.co.cc/downloads/badschemer-1.0.3.tar.gz

2- Instalar bibliotecas necessárias

# apt-get update
# apt-get install build-essential automake libgtksourceviewmm-2.0-dev

3- Desempacotar o aplicativo Badschemer, compilar e instalar


tar -vzxf badschemer-1.0.3.tar.gz
cd badschemer-1.0.3
./configure
make
# make install

4- Reiniciar a insterface gráfica e usar o aplicativo

Reinicie a interface grádica, e o aplicativo já poderá ser utilizado através da entrada do menu do Gnome em:
Sistema -> Preferencias -> Sourceview Style Schemes.


Referências:

1- Badschemer

Personalizar o GRUB

Publicado: 30/07/2011 em Linux, Programação
Tags:,

1. Introdução
O GRUB possui inúmeros recursos. Quando o GRUB é inicializado, um menu de escolha para boot é apresentado ao usuário a partir do que está em sua configuração. Acontece que a forma de configurar o GRUB é diferente entre sua versão legada e o GRUB2. logo, a primeira coisa é verificar a versão do GRUB em uso. Faça isto assim:
# grub-install --version
grub-install (GRUB) 2.02~beta2-22

Pela exemplo da resposta acima, vemos que está instalado a versão 2.02 do GRUB. Portanto, trata-se do GRUB-2, pois o GRUB legado vai até a versão 0.97.

2. Versão legada do GRUB
No GRUB legado, quando este é inicializado um menu de escolha para boot é apresentado ao usuário a partir do que está configurado através do arquivo /boot/grub/menu.lst.

Há uma série de imagens prontas que podem ser utilizadas para personalizar a tela do Grub. No site Debian Art, por exemplo, pode-se baixar diversas destas imagens. Outra opção, é construir sua própria tela, atentando para as seguintes características:

  • imagem no tamanho de 640×480;
  • imagem para 14 cores no máximo;

De uma forma ou de outra, siga os seguintes procedimentos:
2.1 Gerar a imagem desejada
Assumindo que você tenha uma imagem no formato PNG, converte-a para XPM, deixe-a no tamanho certo e faça sua compressão. Para isso abra o terminal e digite:

$ convert -resize 640x480 -colors 14 wallpaper.png image.xpm && gzip image.xpm

Com isto será gerado automaticamente o arquivo image.xpm.gz.
OBS: o comando “convert” faz parte do pacote “imagemagick”. Se não estiver instalado na máquina este pacote, deve-se fazer a sua instalação.

2.2 Copiar o arquivo gerado para o lugar correto

# cp image.xpm.gz /boot/grub/.

2.3 Configurar o GRUB legado
Para configurar o Splash Screen no Grub, edite o arquivo /boot/grub/menu.lst, adicionando as seguintes linhas:

# Define a cor de primeiro plano. A cor deve ser definida em notação hexadecimal.
foreground = ffffff
# Define a cor de segundo plano (fundo)
background = 13C3F3
splashimage=/boot/grub/image.xpm.gz

e reiniciar a máquina, onde a nova tela do GRUB já deve ser visualizada:
# reboot

3. Versão GRUB2
3.1 Introdução
A configuração manual do GRUB2 é feita através do arquivo /etc/default/grub e dos scripts presentes no diretório /etc/grub.d/. O arquivo /boot/grub/grub.cfg apesar de ser o principal arquivo de configuração, este NÃO deve ser alterado manualmente. Ele será configurado dinamicamente pelo comando “update-grub” a partir do conteúdo dos outros arquivos. Ou seja, grub.cfg é automaticamente gerado quando o comando “update-grub” for executado. Por padrão, e sempre que o comando “update-grub” for executado, este arquivo é feito “read-only”. Isto está de acordo com a intenção de que o arquivo NÃO deve ser editado manualmente.

Os arquivos do diretorio /etc/grub.d/ são scripts responsáveis por montar o arquivo /boot/grub/grub.cfg. Esses scripts serão executados pelo comando “update-grub” e devem ter permissão de execução. A ordem de execução desses arquivos segue a ordem alfabética de seus nomes, por exemplo: o arquivo “05_debian_theme” é executado antes do “10_linux”.

Veja para que serve cada arquivo de script do GRUB:

  • 00_header: é o script que carrega as configurações que estão no arquivo “/etc/default/grub”, por exemplo: o tempo de espera e a entrada de boot padrão.
  • 05_debian_theme: define a aparência do Grub2 (onfigura splash image, cor do texto, cor de realce e tema).
    10_linux: localiza os kernels do sistema operacional e cria suas entradas no menu.
  • 20_memtest86+: cria as entradas do memtest.
  • 30_os-prober: busca outros sistemas operacionais e cria as suas entradas no menu.
  • 40_custom: é apenas um modelo para se criar entradas adicionais no menu do Grub2.

3.2 Imagem de background do GRUB
a) Instalar “splash images”
# apt-get install grub2-splashimages
Uma vez instalado, as imagens estarão localizadas na pasta /usr/share/images/grub .

Para colocar uma imagem de background no GRUB2, a maneira mais fácil é editar o arquivo de configuração /etc/default/grub, adicionado o seguinte parâmetro:
GRUB_BACKGROUND=”coloque aqui o caminho até a imagem”

Exemplo:
GRUB_BACKGROUND="/usr/share/images/grub/Apollo_17_The_Last_Moon_Shot_Edit1.tga"

b) Atualizar o arquivo boot/grub/grub.cfg executando o seguinte comando:
# update-grub
e em seguida reiniciar o sistema, onde a nova imagem de background do GRUB já deve ser visualizada.

3.3 Cores do menu do GRUB
A forma de se configurar as cores do menu do GRUB é através de pares cor1/cor2. Atente ao fato de que o GRUB2 considera a cor preta, quando usada como a segunda entrada de cor, como indicação de transparência. Será visto a imagem de fundo quando o preto for a segunda entrada (por exemplo green/black = texto verde com fundo transparente).

cor1/cor2 = a cor1 representa a cor do texto. A cor2 representa a cor de background (ou transparente, quando for “black”). As cores podem ser designadas como HTML-style (#000000), RGB comma-separated (128,255,255), e SVG 1.0 com nomes de cores em minúsculos. Exemplos de designações:
black blue brown cyan dark-gray green light-cyan light-blue light-green light-gray light-magenta light-red magenta red white yellow

Há duas condições (normal e em destaque) e dois locais possíveis (menu ou não especificado) quando da configuração do GRUB:
a) condições
– texto em destaque ou selecionado: a linha selecionada é destacada totalmente até seu final, na forma de uma “barra”. A cor1 determina a cor da fonte. A cor2 determina a cor da barra.
– texto não realçado ou texto não selecionado: a cor1 determina a cor da fonte. A cor2 determina a cor de fundo ou transparência (se for “black”) de todas as áreas não destacadas.

b) locais
– menu_color_: a área dentro da fronteira do menu.
– color_: a área fora das fronteiras do menu. Também controlará itens dentro da fronteira se menu_color_ não for especificado.

Para se configurar as cores do GRUB pode-se editar o arquivo /etc/grub.d/05_debian_theme ou, talvez de forma muito mais fácil, criando um novo arquivo chamado /boot/grub/custom.cfg e colocar as configurações de cores nele. Por exemplo:
set color_normal=yellow/black
set color_highlight=red/black
set menu_color_normal=white/black
set menu_color_highlight=red/yellow

3.4 Outras facilidades com o GRUB2
a) Mudar a resolução do video para o GRUB
Editar o parâmetro do arquivo /etc/default/grub conforme abaixo:
De: GRUB_GFXMODE=640x480 (que é o valor padrão)
Para: GRUB_GFXMODE=auto

Atualizar o arquivo de configuração boot/grub/grub.cfg executando o comando abaixo:
# update-grub
e em seguida reiniciar o sistema.
OBS:
– se desejar fixar um outro valor para a resolução do vídeo, veja antes quais as resoluções suportadas por sua controladora de vídeo. Isso pode ser feito pelo seguinte comando:
# hwinfo --framebuffer
– se necessitar, consulte aqui na wikipedia a lista das resoluções de vídeo mais comuns.

b) Help para o arquivo de configuração /etc/default/grub
Instalar o aplicativo de leitura de documentos:
# apt-get install info
Agora basta executar o seguinte comando no terminal:
$ info -f grub -n 'Simple configuration'

Referências
GRUB legado:
1- Debian Art
2- Customizando Splash Screen do Grub
3- Gerenciadores de Boot – Configurando o Grub
4- Wiki-Grub
GRUB2
5- Configurando o Grub2 no Debian
6- GNU GRUB Manual 2.00
7- Grub2
GRUB – conceitos
8- Gerenciadores de partida (boot loaders)/GRUB

Você gostaria de abrir um certo tipo de arquivo em determinado programa apenas com o duplo clique? Isso é possível, sem precisar abrir o programa e carregá-lo por lá. No ambiente gráfico GNOME facilmente se consegue isto.

Quanto no Nautilus (gerenciador de arquivos do GNOME), ao dar um clique duplo em um arquivo que ainda não está associado a determinada aplicação, nenhum aplicativo é aberto e uma mensagem de erro é mostrada na tela.

Para associar um determinado tipo de arquivo a um aplicativo específico no Gnome, realize os seguintes procedimentos:

a) abra o Nautilus e esteja com o arquivo que se quer associar na tela;
b) clique com o botão direito no arquivo e abra “Propriedades”;
c) use a aba “abrir com”, clicando no botão “adicionar”;
d) use a aba “aplicações instaladas” e clique na aplicação desejada a que se quer associar o tipo de arquivo;
e) clique em “adicionar” e depois “fechar”.

Pronto, ao dar clique duplo no arquivo a aplicação marcada será iniciada e o arquivo carregado.

Referências:
1- Como associar os arquivos .doc e docx para abrir com o office?
2- Criando meu próprio MIME-type

As informações tratadas aqui neste post se referem diretamente ao GDM (GNOME Display Manager).  Como se sabe, existem outros display manager: LightDM, LDM, XDM, xlogin…..

O LightDM é o “display manager” padrão para o Ubuntu, Edubuntu, Xubuntu e Mythbuntu desde o release 11.10 e para o Lubuntu desde o release 12.04 release.  Para os “display manager” que não seja o GDM algumas configurações podem ser realizadas de forma um pouco diferente da mostrada neste post.

 

Vamos lá:

Quando iniciamos uma sessão gráfica no Debian aparece uma tela de login padrão. É possível modificar esta tela por uma outra de sua preferência. Diversos temas estão disponíveis para serem baixados e instalados (veja em http://art.gnome.org/). Para isto, basta seguir os procedimentos a seguir.

Passo-1: instale o gnome-art

# apt-get install gnome-art

OBS:pacote gnome-art está disponível no Debian 5 (Lenny). Mas não está disponível na versão 6 (Squeeze).

Passo-2: execute o gnome-art
Preferencias -> Art Manager

Passo-3: baixe as telas de login padrão através do gnome-art (arquivos tar.gz)
Para isto, utilize a opção Art -> Other Themes -> Login Manager

Passo-4: Abra o configurador de janela de início de sessão
Administração -> Janela de início de sessão

Passo-5: instale a nova tela de login de sua preferência
Use a aba ‘local’ e botão ‘adicionar’. Escolha o novo pacote de tema (arquivo tar.gz)

Instalar tema

Instalar tema

Na próxima vez que iniciar uma nova sessão verá as mudanças.

Para saber mais:

1- Como modificar o Login do Ubuntu (GDM)

Iceweasel é um redesenho do componente navegador Mozilla, similar ao Galeon, K-Meleon e Camino, mas escrito usando a linguagem de interface de usuário XUL e desenhado para ser leve e inter-plataforma.

É simples deixá-lo em lingua portuguesa (Brasil):

apt-get install iceweasel-l10n-pt-br

Veja mais detalhes em:
1- Pacotes Debian
2- Atualizar o iceweasel para a versão mais recente