Arquivo da categoria ‘Escritorio’

O Calibre está no repositório Debian. Assim é muito fácil baixá-lo e instalá-lo. Utilize o Synaptic ou via linha de comando:

# apt-get calibre

Calibre foi pensado para ser uma solução completa de biblioteca eletrônica. Ele inclui um gerenciador de biblioteca, conversor de formatos, conversor de feeds de notícias em e-book assim como recursos de sincronização de leitores de e-book.

Calibre é principalmente um programa catalogador de e-books. Ele gerencia sua coleção de e-books. Ele foi desenhado ao redor do conceito de livro lógico, isto é, uma única entrada no banco de dados pode corresponder a e-books em vários formatos. Ele também dá suporte a conversão de dúzias de diferentes formatos de e-books para LRF e EPUB. Uma interface gráfica para o software de conversão pode ser facilmente acessada simplesmente clicando no botão “Converter e-books”.

No momento da publicação deste post, os formatos de entrada para os quais há suporte são: MOBI, LIT, PRC, EPUB, ODT, HTML, CBR, CBZ, RTF, TXT, PDF e LRS.

Ao executar o Calibre pela primeira vez será necessário ajustar algumas configurações. A primeira etapa consiste em indicar um diretório no qual os seus livros serão armazenados, Pode ser qualquer pasta do computador.

Agora faremos a escolha do fabricante e o modelo do seu leitor de e-books. Certifique-se de selecionar a opção corretamente de acordo com o seu dispositivo leitor, pois é esta informação que determina as opções de conversão do programa. Observe a figura abaixo, onde no meu caso tenho um Kindle PaperWhite:
Calibre - selecionar seu dispositivo de leitura de e-books

O Calibre pode enviar livros automaticamente por email para o Kindle. Para que isso seja possível, é preciso configurar o Calibre corretamente através de seu menu “preferências -> Compartilhando livros por e-mail”. Caso você tenha uma conta no Gmail, pode utilizá-la para esta tarefa. Neste caso, observe a figura abaixo.
Configurar servidor e-mail para o Calibre

Pela figura, realçamos:

  • Servidor de saída (SMTP): 465
  • Nome do Servidor: smtp.gmail.com
  • Conexão de segurança (SSL): ativada

Para enviar os livros para o seu Kindle, selecione os livros que deseja transferir e clique com o botão direito do mouse sobre qualquer um dos livros selecionados, conforme figura abaixo:
Enviar e-books por e-mail utilizando o Calibre

Observação:
Para contas Google permitir a conexão do Calibre, deve-se configurar este servidor para permitir a conexão de aplicativos menos seguros, conforme figuras abaixo:
Google - configurar login e seguranca

Para gerenciar as configurações de acesso à conta e de segurança utilize a URL https://myaccount.google.com/security
Agora, permita conexões menos seguras.
Gmail - configurar conexões menos seguras

Quando não estiver utilizando o Calibre, é recomendável por segurança desabilitar esta permissão.

Anúncios

Utilize o Kindle Cloud Reader. O Kindle Cloud Reader é uma aplicação feita em HTML5, executada diretamente no navegador. Assim, o sistema operacional faz pouca diferença no resultado final. O aplicativo sincroniza a biblioteca que está na sua “nuvem” de seu dispositivo Kindle.

Testei a aplicação utilizando o Firefox e o Chromium numa distribuição Debian. Funcionou sem problemas.

Kindle Cloud Reader

E quais formatos de arquivo que o Kindle lê?
O Kindle permite ler e-books em formato MOBI, PDF e TXT de forma nativa; e DOC, DOCX, HTML e imagens através de conversão. Para converter arquivos, é preciso enviá-los à sua caixa postal da Amazon por e-mail.

É possível colocar livros de outros formatos no Kindle, por exemplo no formato ePubs. Mas deve-se fazer uma conversão. Uma maneira fácil de fazer essa conversão é utilizando o software Calibre (que já está no repositório Debian). O mesmo vale para quadrinhos: o Kindle não tem suporte a arquivos CBR e CBZ, mas você pode convertê-los.

Enjoy.

Links úteis
1- Qual é o melhor formato de arquivo para ler no Kindle?
2- Transfira itens de um computador para o seu Kindle
3- Qual é a diferença entre os formatos de eBook: EPUB, MOBI, AZW e PDF?

1. Introdução
Estamos utilizando aqui a versão Debian 8 (“jessie”).

Os dispositivos UniFi são fornecidos com um software controlador, que permite gerenciar a rede UniFi usando um navegador web. O software com um conjunto de facilidades básicas é gratuito. Mas para ampliar a capacidade de gerenciamento da rede e a sua segurança, módulos softwares adicionais podem ser adquiridos de forma onerosa.

2. Algumas coisas bem básicas
a) ao ligar o equipamento, este assume um amarelo piscante. Isso significa que o mesmo está se inicializando.
b) ao terminar a inicialização, o dispositivo pode ir para a cor amarela (indicando que está precisando ser configurado) ou a cor verde (ou azul, dependendo da versão),quando o mesmo está configurado, entrou na rede e está em operação normal.
c) caso o equipamento apresente um verde piscante (ou azul, dependendo da versão), significa que o mesmo está configurado mas não entrou na rede. Possivelmente o equipamento perdeu comunicação com o roteador/switch principal.

3. A instalação
a) instalar os pacotes relativos ao banco de dados MongoDB:
# apt-get install mongodb-server mongodb-clients

b) Verificar se o serviço está ativo:
$ ps -A | grep mongo
490 ? 00:00:07 mongod
1579 ? 00:00:05 mongod

c) baixar e instlar o software controlador do Ubiquiti:
O mesmo se encontra disponível em https://www.ubnt.com/download/unifi/
No momento desse post, o software baixado estava identificado como “UniFi 5.4.11 Controller for Debian/Ubuntu Linux”:
Filename: unifi_sysvinit_all.deb
Version: 5.4.11
Size: 134MB

Fazer sua instalação:
# dpkg -i unifi_sysvinit_all.deb

Também é possível baixar o controlador diretamente via comando APT, conforme as instruções disponibilizadas pelo fabricante.

d) É interessante seguir as orientações de instalação e utilização do software de controle do UniFi através do seu guia do usuário. Para a versão 5 do software de controle, o guia do usuário pode ser encontrado em https://dl.ubnt.com/guides/UniFi/UniFi_Controller_V5_UG.pdf

e) acessar o software de controle do UniFi através da máquina local da rede em que fora instalado o software, pela URL http://<IP-maquina_local >:8443/ . Seguir os passos determinados. Se o usuário não possui cadastro no fabricante, será solicitado que seja realizado.

f) Para fazer login no software controlador após este estar instalado, será apresentada uma página inicial com o seguinte aspecto:
Tela de login do UniFI

g) após fazer o login inicial no software controlador, será apresentado um dashboard com o seguinte aspecto:
Dashboard inicial do UniFi

h) dentro do software controlador, uma operação essencial deverá ser feita: comandar a atualização do firmware do equipamento UniFi.

i) após configurar as redes (SSID,…), o equipamento deverá apresentar uma cor verde fixa, e pronto para uso.

Referências
Comunidade UniFi

Quando se tenta utilizar o Thunar (que é o gerenciador de arquivos nativo do XFCE) para navegar numa rede windows via protocolo “smb://”, no primeiro momento não se tem sucesso. Quando se clica em “Procurar rede”, recebe-se a seguinte mensagem de erro:

Failed to open "/ on".
Operation not supported.

Para habilitar os protocolos FTP e SMB através do aplicativo Thunar, experimentei duas formas:

a) Através dos pacotes “fusesmb” e “gvfs-backends”
Estes pacotes devem ser instalados. Consequentemente, o Thunar passará a abrir endereços “ftp://” e “smb://” normalmente. Para instalá-los:

# apt-get install fusesmb gvfs-backends

b) Através do plugin VCS do Thunar
Este plugin para o “Thunar file manager” é principalmente utilizado para fazer aintegração do Git e do Subversion dentro deste gerenciador de arquivos. Para instalá-lo:

# apt-get install rabbitvcs-core thunar-vcs-plugin rabbitvcs-cli

Agora é só digitar o protocolo e o caminho da pasta desejada (smb://IPADDRESS/PATH). Como no exemplo:
smb://209.135.119.27/pasta1/

Obs: na distribuição Ubuntu, o pacote gvfs-backends (ou equivalente) é instalada por padrão.

1. Introdução
Ao instalar o Debian 8 (“jessie”) em um laptop HP-Compaq 6710b, observa-se que sua interface wifi ainda não está funcionando e o áudio está na situação “mudo”. Esse post procura contribuir com a solução destes incovenientes.

2. Sobre o wifi
2.1 BIOS
O laptop tem na BIOS uma opção de bloquear a interface wifi. Verifique para que esta opção esteja habilitando o funcionamento do wifi.

2.2 Usar componentes non-free
Adicionar ao arquivo que contém a lista de fontes de pacotes (/etc/apt/sources.list) o componentes non-free. A título de exemplo, a entrada poderia ficar assim:

deb http://ftp.br.debian.org/debian/ jessie main non-free

2.3 Instalar o firmware e reiniciar o computador

# apt-get update
# apt-get install firmware-iwlwifi
# reboot

2.4 Verificar se firmware está instalado e funcionando
Ao reiniciar a máquina, o wifi já deverá estar funcionando. Adicionalmente, verifique:


# lspci -v
10:00.0 Network controller: Intel Corporation PRO/Wireless 4965 AG or AGN [Kedron] Network Connection (rev 61)
	Subsystem: Intel Corporation Device 1000
	Flags: bus master, fast devsel, latency 0, IRQ 46
	Memory at e4100000 (64-bit, non-prefetchable) [size=8K]
	Capabilities: [c8] Power Management version 3
	Capabilities: [d0] MSI: Enable+ Count=1/1 Maskable- 64bit+
	Capabilities: [e0] Express Endpoint, MSI 00
	Capabilities: [100] Advanced Error Reporting
	Capabilities: [140] Device Serial Number 00-21-5c-ff-ff-93-61-dd
	Kernel driver in use: iwl4965

Vemos que se está se utilizando o driver “iwl4965”. Assim, fora instalado o driver e, estando agora a interface wifi funcionando, temos superado o problema da interface wifi.

3. Sobre o áudio
Inicialmente não havia áudio. A razão disso é que o status da interface está em “mudo”. Ative o áudio da seguinte maneira:

# alsamixer
Com o alsamixer, levante o volume do som e digite “M” para sair do modo “mudo”. Pronto, o som deve funcionar.
Obs: se necessário, utilize a opção F6 para selecionar o cartão de áudio.

Por último:
# alsactl store
salvando para o arquivo de configuração o corrente estado do driver relativo ao cartão de som selecionado.

Referências
1- Instalar driver de Wifi no laptop Lenovo E430 ThinkPad usando Debian
2- Instalar driver de Wifi no laptop HP Pavilion dv2040 usando Debian
3- Entendendo melhor como funcionam os drivers em máquinas Linux

1. Introdução
O desafio era deixar uma máquina com Debian 8 (“Jessie”) poder imprimir numa impressora Lexmark X656de que estava numa rede Windows.

2. Instalar pacotes software
Para isto, faça a instalação dos seguintes pacotes:
# apt-get install system-config-printer cups cups-client smbclient

3. Tentar selecionar driver disponível
Para poder criar a impressora, utilize o seguinte comando:
# system-config-printer

a) Utilizar a opção “Impressora do Windows via Samba”, e fornecer o endereço da impressora e suas informações de autenticação (que devem estar cadastradas através do gerenciamento da rede de dados).

Selecionar impressora

b) A seguir, vamos escolher um driver disponível: selecionar a opção “Selecionar impressora da base de dados”, marcar impressora “Lexmark” e tentar achar o seu driver. O problema acontece aqui: não se acha disponível o driver correspondente a impressora.

Selecionar base de dados

Selecionar base de dados

Escolher o driver correspondente a impressora.

Escolher o driver correspondente a impressora.

4. Baixar e instalar o arquivo PPD
Volte na tela anterior e escolha a opção “Fornecer arquivo PPD”.

Escolher opção -selecionar ppd-

O arquivo PPD para a impressora pode ser encontrado na página oficial da Lexmark na internet. No caso, baixei o arquivo “Lexmark-X656de-Postscript-Lexmark.ppd”

Página da Lexmark na internet

Pronto, a impressora deverá estar acessível da máquina Debian.

1) Introdução
Testamos este post na versão 7 do Debian (“wheezy”), e Mediawiki versão 1.19.20.

2)Instalar o MediaWiki (parte-1)

#apt-get install mediawiki

Esse comando instalará:
– apache2;
– mysql;
– php5;
– mediawiki,

e seus conjuntos de arquivos associados. Quando da instalação, será formulada a pergunta de qual a senha desejada para ser definida para o administrador do banco de dados MySQL (atenção: não tem nada haver com usuário root do S.O.; este usuário administrador do banco de dados será criado automaticamente na tabela mysql.user.). Veja abaixo:

Pedido de senha para usuario root MySQL

Após a execução do comando acima, o mediawiki estará disponível nas seguintes pastas (e subpastas):

  • /etc/mediawiki
  • /var/lib/mediawiki/ : contém, basicamente, links simbólicos para /usr/share/mediawiki
  • /usr/share/mediawiki/ : principal pasta. Onde estão os arquivos com o código do mediawiki

3) Uma primeira mensagem de alerta do Apache
Logo após a instalação do Apache, quando da execução do comando de recarregar a configuração do Apache (# /etc/init.d/apache2 reload) ou comando de reiniciar (# /etc/init.d/apache2 restart), uma primeira mensagem de alerta aparece:

Could not reliably determine the server's fully qualified domain name, using 127.0.0.1 for ServerName

Isso normalmente pode ser ignorado, pois não impede o bom funcionamento do Apache. Mas aquela mensagem significa que o daemon do Apache (httpd) não conseguiu obter um nome de host totalmente qualificado, fazendo uma pesquisa inversa no seu servidor de endereço IP. Uma alternativa simples para evitar estas mensagens é especificar “ServerName 127.0.0.1” no contexto do servidor global da configuração. Por exemplo, criando o arquivo /etc/apache2/conf.d/servername.local , tendo como conteúdo:

ServerName 127.0.0.1

4) Verificações básicas
a) verificar se o Apache está funcionando
Verificar se o servidor de páginas Apache está ativo, na forma exemplificada abaixo:
# ps -A | grep apache2
7561 ? 00:00:00 apache2
7706 ? 00:00:00 apache2
7707 ? 00:00:00 apache2
7708 ? 00:00:00 apache2
7709 ? 00:00:00 apache2
7710 ? 00:00:00 apache2

Acessar também a url http://localhost/ , onde uma página muito simples deverá ser mostrada no navegador, como esta abaixo (referente ao código em /var/www/index.html):
Tela inicial do Apache quando instalado

Dicas:
– para acompanhar as mensagens de erro do Apache, normalmente estas se encontram no arquivo /var/log/apache2/erro.log (quem define qual arquivo de erro é a variável ErrorLog, definida em /etc/apache2/apache2.conf).

– se desejar uma cópia local do manual da versão em uso do servidor de páginas Apache, fazer:
#apt-get install apache2-doc
Com isso, ao acessar a url http://localhost/manual/ teremos a documentação do Apache mostrada, como abaixo ilustrado:
Tela inicial do Manual do Apache

b) verificar se o PHP está funcionando
Criar o arquivo /var/www/index.php com o seguinte conteúdo:

<?php
phpinfo();
?>

Reiniciar o Apache:
# /etc/init.d/apache2 restart

Agora, acessar o endereço http://localhost/index.php . Se as informações de configuração do PHP aparecerem, isto significará que o Apache e o interpretador PHP foram instalados corretamente e estão funcionando. Veja um exemplo de um pedacinho da página que deverá ser mostrada:

Tela de teste do funcionamento do interpretador PHP

c) verificar se o MySQL está funcionando.
Verificar se o processo MySQL server foi iniciado e está “ativo”:

$ ps -A | grep mysql
7391 ?        00:00:00 mysqld_safe
7720 ?        00:00:13 mysqld

Para ter acesso ao banco do MySQL, utilizar o seguinte comando:
$ mysql -u root -p
Este comando é destinado a fazer a autenticação no banco de dados MySQL. Será solicitado a senha do usuário “root” (que neste momento é o usuário administrador do MySQL) de acesso ao banco que fora definida anteriormente na instalação. Forneça a senha, conforme definida naquele momento da instalação.

Dicas:
– verificar se o servidor MySQL está instalado e qual a sua versão: $ apt-cache policy mysql-server
– verificar se o client MySQL está instalado e qual a sua versão: $ apt-cache policy mysql-client
– estando autenticando do servidor MySQL, são úteis os seguintes comandos básicos:
* status do banco: mysql> status;
* base de dados existentes: mysql> show databases;
* selecionar uma base de dados (exemplo: a BD mysql): mysql> use mysql;
* listar as tabelas de uma BD (que fora anteriormente selecionada): mysql> show tables;
* verificar os usuários existentes:


mysql> SELECT User, Host, Password FROM mysql.user;
+------------------+-----------+-------------------------------------------+
| User             | Host      | Password                                  |
+------------------+-----------+-------------------------------------------+
| root             | localhost | *81F5E21E35407D884A6CD4A731AEBFB6AF209E1B |
| root             | 127.0.0.1 | *81F5E21E35407D884A6CD4A731AEBFB6AF209E1B |
| root             | ::1       | *81F5E21E35407D884A6CD4A731AEBFB6AF209E1B |
| debian-sys-maint | localhost | *BEB671E4F154411B71BEEDA86385600449ED3346 |
+------------------+-----------+-------------------------------------------+

Neste caso, fora o próprio sistema operacional, apenas usuário do BD chamado “root” pode ter acesso, fornecendo senha, e partindo do própria máquina.
* para outros comandos do BD MySQL veja o post Tutorial MySQL.

5) Instalar o MediaWiki (parte-2)
5.1 Liberar acesso inicial para parametrizar o mediawiki
Editar o arquivo da configuração do Apache em /etc/mediawiki/apache.conf e remover o sinal de comentário ‘#’ presente na sua terceira linha, ficando desta forma:
Alias /mediawiki /var/lib/mediawiki
Reiniciar o Apache:
# /etc/init.d/apache2 restart

Obs: observar que existe o arquivo /etc/apache2/conf-available/mediawiki.conf com as diretivas de configuração para o Apache achar o mediawiki.

Nesse momento, já é possível acessar a página inicial do Mediawiki para iniciar seu processo de configuração. Ao acessar a url http://localhost/mediawiki/ a seguinte página deverá ser mostrada:
Tela inicial do Midiawiki, para iniciar sua configuração

5.2 Iniciar a parametrização do mediawiki
Clicar no link mostrado na figura anterior e iniciar a parametrização do Mediawiki. Algumas dicas úteis:
– nome do utilizador da base de dados: informar o nome do usuário já criado na BD do MySQL que será usado para ter acesso à BD durante o processo de instalação. Este usuário não é o do MediaWiki, e sim de um usuário da base de dados.
– conta de administrador, seu nome: o seu nome, por exemplo, “Joao Beltrao”. Este é o nome que irá utilizar para entrar na wiki.
– sobre o arquivo LocalSettings.php: automaticamente será gerado um arquivo de configuração que será disponibilizado ao usuário que está instalando o mediawiki. Salve este arquivo e coloque-o na mesma pasta do arquivo index.php do mediawiki (no caso deste post, esta pasta após iniciar os dois links simbólicos é a /etc/mediawiki/ .

Pronto, acesse a url http://localhost/mediawiki/ e observe que o Mediawiki estará funcionando normalmente. Faça o login através do usuário que fora criado (no caso, “Joao Beltrao”). Bom uso.

5.3 Parametrizações do arquivo LocalSettings.php
Este arquivo permite um grande número de parametrizações. Algumas dicas (no caso, acrescentar ao final do arquivo as seguintes linhas:
$wgGroupPermissions['*']['edit'] = false;
$wgLocalTZoffset = -180;
$wgGroupPermissions['*']['createaccount'] = false;

A primeira linha acima serve para evitar que usuários anônimos possam modificar o conteúdo do Wiki; a segunda linha para que o Wiki utilize o mesmo fuso horário do usuário no momento de uma edição (horário brasileiro: -3 horas = -180 minutos); a terceira linha desabilita a criação de novos usuários pelos próprios internautas, tarefa que será feita exclusivamente pelo administrador do wiki.

Se desejar, fazer:
$wgGroupPermissions['*']['read'] = false;
Com isso, só é permitido a leitura do wiki por usuários logados no wiki.

Obs: o logo do wiki é definido pela variável “$wgLogo” que por padrão está apontando para /usr/share/mediawiki/skins/common/images/wiki.png. Recomenda-se que se utilize uma figura com fundo transparente de 135×135 pixels. Uma rápida modificação dessa imagem visualizada nesta instalação, apenas altere o valor da variável “$wglogo” que está apontando para a imagem “wiki.png”, deixando-a apontando para a imagem “mediawiki.png” (que está na mesma pasta).

5.4 Dica de segurança
Caso o mediawiki for instalado em uma área pública, cuidado deve-se ter quanto a proibição do acesso de usuários ao arquivo de configuração. Assim, quando for esse o caso, a alteração da permissão do arquivo /etc/mediawiki/LocalSettings.php seria recomendável:

# chmod 600 LocalSettings.php
# chown www-data:www-data LocalSettings.php

Isto fará com que este arquivo não fique visível a outros usuários. É uma medida de segurança.
Se a configuração de segurança fora feita com sucesso, ao acessar a url http://localhost/mediawiki/LocalSettings.php uma página em branco ou uma página de erro deve ser mostrada.

5.5 Uma verificação da base de dados após mediawiki estar instalado
Para isso, faça a autenticação na base de dados. Assim:
a) verificar as bases de dados
Caso o nome da base de dados escolhida na instalação do wiki tenha sido “my_wiki”, tem-se:

mysql> show databases;
+--------------------+
| Database           |
+--------------------+
| information_schema |
| my_wiki            |
| mysql              |
| performance_schema |
+--------------------+

b) verificar as tabelas criadas para o wiki
Após chavear para a base de dados “my_wiki”, e durante a instalação do wiki escolheu-se “prefixo” para o nome dos prefixos das tabelas relativas as bases de dados do wiki, tem-se:

mysql> show tables;
+---------------------------+
| Tables_in_my_wiki         |
+---------------------------+
| prefixoarchive            |
| prefixocategory           |
| prefixocategorylinks      |
| prefixochange_tag         |
          .
          .
          .

5.6 Testar o funcionamento do mediawiki como um todo
Agora que o mediawiki está instalado, é hora de testar os passos executados. Pelo menos, teste as seguintes facilidades:

– edição de página;
– criação de página;
– criação de usuário.

5.7 Acessar o Mediawiki de outras máquinas
Para isto, basta alterar o valor da variável wgServer do arquivo LocalSettings.php: em vez de localhost (que é o default), coloque o IP de sua máquina. Exemplo:
$wgServer ="http://192.167.34.25";

6) Dicas adicionais para aqueles que desejam criar um domínio próprio para o wiki
A partir desse ponto, são dicas adicionais e não há obrigatoriedade de seguir para deixar o Mediawiki funcionando.

Copiar os apontadores do Mediawiki (e mais algumas pastas adicionais) para o diretório raiz do Apache

# cp -a /var/lib/mediawiki/ /var/www/wiki

6.1) Preparar o ambiente antes de continuar a instalação do Mediawiki

6.1.1) escolher um nome de domínio para acessar o mediawiki. Por exemplo: http://www.meuwiki.com
6.1.2) criar uma entrada no Apache para o novo domínio meuwiki
a) Criar um arquivo em /etc/apache/sites-available, por exemplo de nome ‘meuwiki’, com o seguinte conteúdo:

<VirtualHost *:80>
ServerName http://www.meuwiki.com
DocumentRoot /var/www/wiki
</VirtualHost>

obs: para facilitar, faça uma cópia do arquivo ‘default’ para o ‘meuwiki’, e edite suas diretivas.

b) Habilitar o dominio virtual

#a2ensite meuwiki

c) caso o novo domínio esteja hospedado na mesma máquina que o usuário esteja usando, crie uma entrada em /etc/hosts:

127.0.0.1 http://www.meuwiki.com

6.2) Recarregar o Apache com as novas configurações

# /etc/init.d/apache2 reload

6.3) Complementar a instalação do Mediawiki pelo navegador
Na caixa de endereços de URL do navegador, digitar o endereço do Mediawiki e complementar sua instalação. O acesso ao Mediawiki deve ser pelo nome do domínio escolhido (isso é MUITO IMPORTANTE!!!, para que a instalação fique correta e o Mediawiki acessível de qualquer máquina da rede):

http://www.meuwiki.com

A tela mostrada é para iniciar a configuração do Mediawiki, pois ainda o arquivo de configuração LocalSettings.php ainda não fora criado na pasta /etc/mediawiki/. Este arquivo será criado quando for terminado o processo de complementação da instalação do mediawiki, realizado pelo usuário com o navegador clicando no hiperlink “Set up the wiki” (conforme figura anterior).

6.4) Setup do Wiki
Um exemplo de setup do wiki:

Wiki name: “Meuwiki”
Admin username: “wikiadmin”
Password: <senha_do_wikiadmin>
Databasehost: “10.200.70.5:3306” ou “localhost” (se base dados em outra máquina ou na mesma em que fora instalado o wiki, respectivamente)
DB name: “db_meuwiki”
DB username: “adm_wiki”
DB password: <senha do DB admin>
Database table prefix: “meuwiki_”
Storage Engine: “InnoDB”
Database character set: “MySQL4.1/5.0 UTF-8”

Após executar este “setup”, será criado o banco de dados “db_meuwiki“, e a tabela “mysql.user” terão os seguintes usuários criados:

User Host Password
adm_wiki % *07C2A823749F8D68A9758F74DDDC945DE57873F6
adm_wiki localhost *07C2A823749F8D68A9758F74DDDC945DE57873F6
adm_wiki localhost.localdomain *07C2A823749F8D68A9758F74DDDC945DE57873F6

 

6.5) Disponibilizar o arquivo LocalSettings.php gerado na sua pasta definitiva
Após ter clicado no link “set up the wiki”, conforme mostrado na figura acima, respondido as questões apresentadas pelo aplicativo e, ao final, ter obtido uma mensagem de sucesso, complemente a instalação do Mediawiki disponibilizando este arquivo na sua pasta definida (a mesma que contém o arquivo com o código inicial do midiawiki – “index.php”). Na instalação exemplificada neste post, a pasta seria /var/lib/mediawiki:

# mv LocalSettings.php /var/lib/LocalSettings.php

Agora, garanta a segurança necessária ao ambiente:
# chmod 600 /var/lib/LocalSettings.php
# chown root:root /var/lib/LocalSettings.php

Links uteis:
1- Instalação do MediaWiki em sites pessoais em WebHostings
2- Instalação do MediaWiki no Debian Etch
3- Instalação do MediaWiki em sites pessoais em WebHostings
4- Instalando Apache+PHP+MySQL no Linux/Debian
5- Tutorial MySQL ( instalar em ambiente Linux – Debian )
6- Configurar domínios virtuais do Apache em máquina Linux/Debian
7- Instalar e configurar Módulos do Apache2 no Debian